O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Lucas 7.1-10 - Uma Fé Como Esta: Inabalável


Watch live streaming video from pipgyntv at livestream.com

-------------------

Introdução:
Esse é o primeiro milagre de Jesus após o sermão do Monte narrado no capítulo anterior.

Contexto:
Jesus continua em Cafarnaum. E o assunto continua o mesmo: Viver uma fé inabalável.
Ele terminara o capítulo anterior falando que a nossa fé nele deve ser inabalável. O que isso quer dizer? Que deve ser uma fé autêntica, ou seja, que o que aprendemos praticaremos com nossos atos.

Proposição:
Viver uma fé inabalável tem a ver com três posturas que Lucas aponta com respeito a esse Centurião:

I. O QUE A PESSOAS DIZEM DE NÓS (ELE É DIGNO - V.2-5):

a) O filho do centurião estava gravemente doente.
Um Centurião ocupava o terceiro nível da hierarquia militar romana. As legiões romanas tinham como unidade básica de guerra a Centúria, que era formada por um quadrado de 10 fileiras de 10 homens cada, dando o total de 100 soldados.
O centurião era o soldado responsável por comandar a centúria, dando ordens que deveriam ser prontamente obedecidas pelos soldados, especialmente as formações militares. Uma delas era a "formação tartaruga" onde os escudos encaixavam-se um no outro, formando um bloco maciço que impedia qualquer ataque de armas de longo alcance como flechas ou pedras de fundas.
O centurião, apesar de seu posto de destaque, era um soldado que lutava com os demais, não se locomovia a cavalo, marchava junto à sua centúria e acampava com eles. Por isso costumavam ser muito respeitados pelos soldados. Seria o equivalente a capitão, na hierarquia militar atual. Cada centúria possuía 10 decuriões que eram os responsáveis pela organização de sua fileira, sendo estes semelhantes aos cabos na hierarquia militar atual.

b) Ele é digno: O testemunho dos outros.
 Amigo do nosso povo.
 Construiu a sinagoga.
 Fé inabalável é uma questão de testemunho. testemunho não é o que dizemos de nós mesmos, mas o que os outros dizem de nós. Hebreus 11 relata o testemunho de Deus a favor daqueles que depositaram fé nele.

II. O QUE DIZEMOS DE NÓS MESMOS (NÃO SOU DIGNO - V.6-8):

a) Eu Não sou digno = sou sujeito a ordens.
Humildade é uma visão apropriada de si mesmo.

b) Sabe o significado de AUTORIDADE.
 Sujeito à autoridade = Ele é sujeito à autoridade e também exerce autoridade. Sabia que obediência é uma atitude a ser seguida na presença e na ausência de quem ordena uma ação.
 Fé inabalável é uma questão de obediência.

III. O QUE JESUS CRISTO DIZ DE NÓS: JAMAIS ENCONTREI UMA FÉ COMO ESTA! (V.9,10):

a) Jesus se admirou!
 Um homem que olha para os outros homens como verdadeiro homem!
 Só duas coisas causaram admiração em Cristo; A incredulidade dos moradores de Nazaré (Mc 6.6) e a fé desse centurião!

b) Nem mesmo em Israel achei fé como esta!
 O evangelho alcança a todos, inclusive os gentios.
As manifestações genuínas de fé aparecem de quem menos esperamos.

c) Jesus curou o menino.
 Os mensageiros já o encontraram curado.
 A presença não é uma exigência para que haja cura, mas a fé no poder de Cristo.
 Fé inabalável é uma questão de em quem depositamos a nossa fé.
Ilustração: Reavivamento na África do Sul. Pessoas eram curadas antes dos cultos começarem; sem a presença de Erlo Stengen; por pessoas comuns que criam em Cristo.

Conclusão:
1. A fé inabalável é vista no testemunho, na obediência e confiança exclusiva em Cristo.
2. Não existe o poder da fé, mas o poder do Deus da fé.
3. Como lidamos com os elogios?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...