O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quinta-feira, 25 de abril de 2013

08 = Uma Paixão Pelas Pessoas (1 Tessalonicenses 3.9-13) 2ª parte.



Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia
Grupo de Estudo do Centro – Fev a Jun/2013
Liderança: Pr. Hélio O. Silva, Sem. Adair  Machado e Presb. Abimael A. Lima
08 = Uma Paixão Pelas Pessoas ( 1 Ts 3.9-13).  2ª parte.     13/03/2013
Um Chamado à Reforma Espiritual – D. A. Carson, p. 86 a 95.

Introdução:
            Na semana passada enfatizamos os sentimentos que o apóstolo Paulo nutria pelos irmãos da igreja de Tessalônica, das preocupações dele quanto à perseverança e o crescimento de todos eles. A única coisa que lhe era possível fazer naquela situação era interceder por todos de Tessalônica, e, isso ele fazia com paixão permanente diante de Deus.
            Existem várias formas de analisar esta oração. Todavia, é melhor analisá-la sob uma perspectiva em particular: Como é que o povo de Deus – nesse caso, o de Tessalônica – aparece nesta oração? Há quatro temas que mostram a paixão perseverante de Paulo por seus irmãos(ãs) em Cristo.

1. Paulo ora com copiosa gratidão pelo povo de Deus (3.9)
            Ele havia descrito sua gratidão a Deus por eles [(tessalonicenses) (1.2,3)] e declara-lhes sua felicidade pelas boas notícias que recebera deles por intermédio de Timóteo (3.6-8). Sua atitude poderia abundar em elogios àquela igreja, entretanto, ele não procede assim. Ele continua com o mesmo tom de gratidão que vemos neste versículo. Cabe aqui salientar duas características distintivas desse exemplo de abundante gratidão

a.    A gratidão não era endereçada aos tessalonicenses, mas a Deus e colocada de forma a encorajá-los.
Ø  Atitudes corriqueiras: bajulador / exigente;
Ø  Ele encoraja os cristãos agradecendo a Deus pela Sua graça na vida deles – Rm 1.8-10; I Co 1.4-9; 2 Co 1.3-7; Fp 1.3-6; Cl 1.3-14; 1 Ts 1.2,3; 2.13-16; 3.9; etc

b.    A gratidão de Paulo a Deus pelos crentes tessalônicos é, em certa medida, agradecimento por suas próprias fontes maiores de alegria.
Ø  Os valores de Paulo estão alinhados aos de Deus: o que dá alegria a Deus, alegra a Paulo;
Ø  É o regozijo de homem que se alegra com o crescimento/amadurecimento dos que são amados;
Ø  Sua alegria não narcisista.

2. Paulo ora para que seja capaz de fortalecer esses crentes (3.10,11)
Três coisas a destacar:
Ø  Orando “dia e noite”
A importância dos horários regulares de oração/lembrança dos motivos certos
Ø  Vê-los novamente e completar o que lhes falta
Desejo de firmá-los nas Escrituras, completando-lhes o discipulado. A oração
não substitui o serviço cristão, ela é parte dele.
Ø  Ciência dos fatores que o impediam de servi-los com era da sua vontade
            Esses obstáculos não restringem suas orações. Não são motivos para desânimo, mas para uma intercessão renovada. Esses detalhes ilustram a relação entre a vida de oração de Paulo e sua paixão pelo povo de Deus

3.  Paulo ora para que haja um transbordamento de amor entre esses crentes (3.12)
Ø  Considerar as relações no mundo antigo
Mundo da época de Paulo                                   Petição de Paulo a favor dos tessalônicos
Egoísmo / luxúria / inveja                          Amor cristão maduro / profundo / ilimitado
Ø  Paulo ora por eles de forma ampla e abrangente, compromete-se.
           
4. Paulo ora para que estes crentes sejam fortalecidos no coração, sejam irrepreensíveis e santos quando o fim vier. (3.13)
            Biblicamente falando, coração não é apenas o centro da personalidade, da volição, mas também o lugar de onde procedem nossos maus intentos. Se nosso coração for fortalecido e a nossa sujeição a Cristo, sincera, não precisamos temer o “dia do Senhor”. Servimos aquele a que “trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus (1 Co 4.5)
            Paulo ora ainda para que sejam confirmados em santidade conforme o padrão estabelecido por Deus. Ele pede a Deus que os torne “irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis com luzeiros no mundo” (Fp 2.15).
            Paulo ora escatologicamente: “na vinda do nosso Senhor Jesus com todos os seus santos”. Seus valores eternos e por isso ele ora com paixão ardente pelas pessoas.
            Quando oramos pelas pessoas, devemos fazê-lo sabendo que tanto elas quanto nós estamos movendo na direção do último dia. Quando oramos com valores eternos em mente, somos levados a orar pelas pessoas, porque serão elas e você que prestarão contas a Deus no último dia.

Aplicação
1 – Precisamos de uma vida de oração que agradeça a Deus pelo seu povo. Precisamos dizer às pessoas que oramos por elas e por quais motivos oramos, a fim de encorajá-las a também orar.
2 – Orações eficientes e eficazes requerem horários regulares e frequentes, além da lembrança sistemática dos motivos pelo os quais oramos.
3 – Quando nos dispomos a orar por pessoas e nos comprometemos, não desconsiderando ninguém, vemos sinais de uma renovação espiritual profunda pela graça de Deus.
4 – A melhor oração que podemos fazer por uma pessoa é que ela tenha o coração fortalecido por Deus de tal forma que se torne irrepreensível e santa na presença dEle.     
                                                                              
Revise e Reflita
1 – De que maneira a oração de Paulo em 1 Ts 3.9-13 mostra sua paixão pelas pessoas?
2 – De acordo com essa passagem, qual é a fonte de alegria de Paulo? Qual é a sua? Como a nossa fonte de alegria pode estar relacionada com o conteúdo das nossas orações?
3 – Estabeleça para si a tarefa de oral fielmente por alguém por quem você não ora. Depois de alguns meses, diga à pessoa que você está fazendo isso – e continue orando.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...