O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

sábado, 25 de novembro de 2017

Suave Cicio



Helio O. Silva
25/11/2017       Suave Cicio

O que o Senhor está fazendo comigo?
Colocando palavras na minha boca,
Direcionando o meu olhar
Ensinando-me a caminhar
Caminhando vagarosamente ao meu lado,
Mostrando-me o que jamais pensei poder ver.

Diga-me, o que o Senhor está fazendo comigo?
Apertando o meu coração,
Sustendo-me com a sua mão,
Espalhando sementes como um semeador
Plantando florestas,
Cultivando novos bosques na minha alma,
Cheios de flores e cores,
Povoados de borboletas azuis
Que espalham a sua presença em mim.

O que o Senhor está fazendo?
Eu não consigo impedir!
Eu vou caindo vagarosamente
Ao mesmo tempo estou em pé.
Eu não ouço o trovão,
Mas o seu estrondo me estremece;
Eu não vejo o fogo,
Entretanto, me queima por dentro!
Eu não vejo o vento forte da tempestade,
E ao mesmo tempo me invade
Como um suave cicio
Que nada segura.

Oh graça abundante! Graça transbordante! Graça suprema!
Que nada impede ou resiste; que nada vê ou atende;
Que chega graciosamente
E graciosamente me transforma.

O que o Senhor está fazendo comigo?
Que tento resistir, mas não consigo,
Que tento fugir, mas me alcança;
Que ataco, mas me vence e me rende.
Que não queria, mas agora desejo;
E amo o que está acontecendo,
Dentro de mim,
Ao redor de mim,
Através de mim.

O que está fazendo?
Por favor, não pare;
Termine o que começou.
Porque nunca bebi de água tão pura,
Nunca comi algo tão doce;
Nunca senti um amor tão santo
Nenhuma mão me segurou tão forte
Nenhuma casa foi mais segura

Encontrei o meu refúgio.

Leia acompanhado com:
https://youtu.be/xff0g0ZeuiQ



sábado, 11 de novembro de 2017

Atos 28 = Mudando de Parecer


®   Atos 28: Mudando de Parecer.

Os bárbaros viram Paulo ser picado por uma víbora, e, de forma determinista, disseram: “Salvo do mar, a justiça não o deixa viver”. Os judeus ouviram Paulo e inicialmente disseram: “Nada ouvimos de mal a seu respeito”. Os Bárbaros mudaram seu parecer tão logo o veneno da víbora não fizera qualquer efeito sobre Paulo, e, mais uma vez, a porta se abriu à proclamação do evangelho na ilha de Malta.

Quanto aos judeus, a divisão se instalou entre eles como por toda parte onde Paulo tinha passado pregando a Cristo e sua ressurreição. Recado eloquente das Escrituras a respeito daqueles que são movidos pela incredulidade e pela presunção, mas não mais pela fé. A incredulidade pode azedar o coração e os sentimentos e não mais inspirar, mas matar a fé. O que sobra é aparência, formalismo, partidarismo e confusão.

Os pareceres das pessoas mudarão onde a graça for dispensada, mas isso é algo que nós não controlamos, pois somente a soberania divina governa sobre tudo e tem acesso aos corações das pessoas. Cabe a nós aproveitar oportunidades abertas e criar oportunidades que Deus administrará conforme o seu preceito.

Nós devemos pregar com intrepidez, vencendo nossos medos, confusões, hesitações e obstáculos. Devemos aproveitar as oportunidades para ensinar as coisas referentes ao Senhor Jesus Cristo (v.31). Devemos seguir nossa vocação, confiantes de que o Senhor estará de fato conosco todos os dias e em todos os lugares onde tivermos que ir ou chegar. Precisamos ter consciência de que ele conduz a nossa história dentro da grande história secular e redentiva.

Precisamos nos dispor a mudar nosso parecer a fim de ajustá-lo ao evangelho e nunca para tomarmos o caminho errado da discussão, da confusão ou da dissensão. Precisamos e carecemos de estar em sintonia com a direção que Deus, o Espírito Santo soprar, deixando-nos conduzir confiantemente por ele.

Conclusão:
          Durante esse ano lemos o texto de Atos devocionalmente, pensando na perspectiva global abrangente de Lucas a partir de Atos 1.8, mas procurando ler o texto para nós mesmos e para o nosso ministério pessoal dentro do corpo de Cristo, a Igreja. É sempre bom olharmos o texto de forma panorâmica, a fim de não nos perdermos do fio que guia a história, por isso, assim como colocamos títulos em cada meditação, precisamos colocar títulos em nossas decisões espirituais que determinarão nossa caminhada cristã. Mas, devemos nos lembrar, que devemos ser guiados o tempo todo pelo Espírito e pela Sua Palavra; nunca confusos, nunca contraditórios, nunca incoerentes.

          Ainda que já tenhamos lido Atos mais de vinte e cinco vezes, é sempre bom e proveitoso reler as Escrituras e nelas meditar para o nosso próprio crescimento espiritual, enriquecimento da fé e revitalização do nosso amor.

Procure reler essas 28 pastorais conferindo com as escrituras para ver se de fato as coisas são mesmo assim e assuma posições de crescimento intencional na sua vida cristã. Engaje-se, participe, caminhe nessa graça fiel, caminhe para frente sem retroceder, sem esmorecer e não desista, pois, o prêmio da soberana vocação está à frente, preparado para os que perseveraram até o fim. Amém! 

Com amor, Pr. Hélio.


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Atos 27 = O Naufrágio - Todos Salvos!


®   Atos 27: O Naufrágio: Todos salvos!

A narrativa da viagem de Paulo para Roma conforme Lucas a descreve aqui é exuberante e ao mesmo tempo cativante. Segundo os estudiosos a narrativa de Lucas é gramaticalmente precisa e minuciosa, não perdendo detalhes e mostrando a vivacidade de alguém que estava presente a tudo! Essa narrativa é considerada um clássico da literatura antiga!

Paulo embarca para Roma com mais duzentas e setenta e cinco pessoas (v.37) numa viagem perigosa e difícil em função de tempestades com vento forte. Aparentemente ele é levado como um prisioneiro, mas sabemos que por trás da história há outra mão que a tudo conduz e a tudo controla: Deus.

Paulo está seguro do propósito e da condução de Deus por todo seu percurso, por isso se mantém sereno, seguro e confiante. Um anjo de Deus esteve com ele tranquilizando sua alma (v.23) e lhe assegurou a obra da graça naquele navio, pois todos seriam duplamente salvos (v.24), do naufrágio e da perdição. Na sua soberania, Deus cria as condições que preparam os corações para receberem o Evangelho. Ninguém conhece a estrutura do homem como Deus, seu criador e Senhor. Essa constatação nos acalma em nossas aflições e nos anima em nossas tarefas cristãs.

Paulo não perde a oportunidade de intencionalmente compartilhar o evangelho da graça. Ele fala, aconselha, orienta e avisa. Ele exorta, anima e dá exemplo de serenidade. O vento pode soprar forte e o mar tornar-se incontrolavelmente agitado, mas o nosso coração goza paz quando descansamos e confiamos em Deus. Entregar-se ao desespero na hora da tribulação é perder de vista todas as ferramentas da graça para vencer as tempestades. Reconheçamos que perdemos muito tempo com ansiedades e preocupações desnecessárias, que nos tomam tempo e sobriedade. Ver claramente como agir em meio às tempestades é algo que aprendemos com as operações graciosas do espírito Santo em nossos próprios corações.

Deus conduz tudo até nas suas menores minúcias. As ações e reações de todos são conduzidas pelo poder que não se vê, mas age de forma extraordinária pelas estruturas ordinárias. As palavras trocadas, as decisões tomadas, a disposição dos objetos e destroços do navio, a cronologia das ondas e sua força. Não é o acaso que determina os acontecimentos, mas a soberania divina. No fim das contas, “e foi assim que todos se salvaram em terra” como Paulo havia dito, como Deus havia lhe prometido quatorze dias antes (v.22,25,27,31,34). E Lucas, presente no navio acompanhando tudo, registrou para nós (v.37).

Confiemos na providente ação graciosa de Deus a nosso favor e descansemos nas suas promessas e orientações. Com amor, Pr. Helio.


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

O tempo e o Vento - Two Steps From Hell - Turin




Assentada sobre o muro no entardecer ela olhava a cidade que ia escurecendo em tons alaranjados enquanto a névoa da noite descia sobre as torres das igrejas, repintando de novos tons os telhados das casas e a luz tremulante de velas, lamparinas e lampiões apareciam nas janelas dos lares em sagrado recolhimento.

O azul escuro da noite ganhava o pico do monte e as nuvens acenavam seu adeus para mais um dia enquanto rodopiavam sopradas pelo vento e o tempo. Aqui e ali começavam a piscar estrelas sorridentes dizendo: Boa noite, boa noite...

Seus cabelos compridos e ruivos pousavam sobre os ombros firmes da mulher que um dia foi menina. Os seus sonhos ainda rondavam com o vento as curvas das ruas e balançavam as saias das árvores pedindo passagem. Seu olhar se elevava ao horizonte lusco-fusco saudando a noite; despedindo-se do dia com gratidão...

O tempo vai passar; vai levar os anos e as histórias e deixará suas marcas no nosso jeito de olhar, no nosso jeito de viver. É preciso contemplar a paz, é preciso amar a paz, é preciso desejar a paz.

Adeus meu dia, vai dormir. Eu levarei para o travesseiro
a gratidão de ter vivido mais um dia! Obrigado Deus por contemplar a tua paz.


Helio O. Silva - 31/10/2017.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...