O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

terça-feira, 23 de maio de 2017

Atos 14 = Convertidos das Coisas Vãs

1678 - Heiss - Paulo e Barnabé em Listra

®    Atos 14: Convertidos das Coisas Vãs.

O Evangelho chega à província Romana da Galácia, atingindo quatro cidades do sul dessa região populosa e multirracial: Antioquia da Psídia, Icônio, Listra e Derbe.

A partir de Listra, o foco dos missionários se volta para os gentios, ainda que a principal estratégia continue sendo começar pela sinagoga. Assim, a pregação do Evangelho passa a lidar com um elemento novo e externo: As crendices e misticismos populares das religiões pagãs. O conteúdo da pregação continua o mesmo e também o foco. Todavia, a mensagem é apresentada indutivamente a partir da criação, dirigindo-se para o evangelho, a fim de apontar pontos comuns que possam atrair a atenção para a mensagem cristã e retirar as pessoas de seu culto a coisas vãs.

A mensagem não é diluída num sincretismo permissivo, nem mudada ao sabor das novidades, menos ainda diminuída no seu significado redentor, pelo contrário, o esforço dos missionários é apresentá-la com fidelidade, de forma relevante e contextualizada. É evidente que contextualizar a mensagem não significa mudar seu conteúdo acrescentando ou diminuindo elementos externos à sua essência.

Chama a atenção os versos 21-23. Há quatro gerúndios que nos apresentam o procedimento e as razões de se ter igrejas organizadas. As igrejas precisam ser organizadas e ter liderança capacitada:

(1º) Para que as almas dos discípulos sejam fortalecidas (v.22), confirmando a fé e dando-lhe mais firmeza.

(2º) Para que sejam estimulados a permaneceram firmes na fé (v.22). A perseverança precisa constantemente de estímulo, exortação fraternal e amistosa, incentivos baseados no companheirismo e fraternidade cristãos.

(3º) Para que vivam sua fé de forma realista (v.22). A palavra “mostrar” não aparece no original, mas foi acrescentada pelo tradutor a fim de esclarecer a presença da palavra “tribulação” no texto. A vida cristã jamais será um mar de rosas, ainda que vitoriosa, porque quem quiser viver piedosamente será perseguido por causa de sua fé (2 Tm 3.2).

(4º) E para que tenham liderança que lhes proporcione esse respaldo à sua fé (v.23). A eleição de presbíteros era necessária para que o fortalecimento, a perseverança e o realismo da fé pudessem ser implementados em cada igreja a fim de que crescessem e não se perdessem, diluindo-se nas muitas curvas, encruzilhadas e becos da secularidade cultural e pagã ao seu redor afastando-se da pureza do Evangelho. A liderança tem como tarefa dar continuidade à missão e levar cada igreja local ao compromisso missionário do Espírito Santo de levar o Evangelho até aos confins da terra!

O capítulo 14 termina com um relatório da primeira viagem missionária. Missionários não são francos atiradores independentes; eles precisam retornar à sua base de envio e prestar contas de tudo. Eles não foram enviados para pregar o seu próprio modo de entender o Evangelho, mas para pregar fielmente a Palavra da Graça de Deus em Cristo.

Fomos enviados ao mundo para anunciar o favor gracioso de Deus para com a humanidade a fim de que se converta de suas crenças vãs; de suas idolatrias pomposas e ilusórias; de sua religiosidade desfocada e sem rumo! No Evangelho, Deus nos oferece o caminho de volta para a casa do Pai que só pode ser trilhado por meio de Cristo (Jo 11.25; Jo 14.6; Jo 15.1-5).
                                                                                                        
Com amor, Pr. Helio.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...