O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Atos 12 - Oração Incessante




®    Atos 12: Oração Incessante.
Rev. Helio O. Silva.

Tiago é morto e Pedro é preso. Isso agrada aos que não amam a Cristo. Por isso a igreja é chamada a orar (v.5,12). A oração incessante por parte da igreja contrasta com o fato inegável de que a prisão está bem guardada. O Deus que ouve orações surpreende a fé despreparada da igreja libertando, a seu pedido, o seu pastor.

Para a igreja a oração é tanto uma dádiva como uma tarefa. Orar é ter o privilégio de aproximar-se de Deus e falar com ele; ao como o Deus distante que não nos conhece e nem a ele, mas com o Deus que inclina os seus ouvidos para nos ouvir, como o Pai atento às necessidades de seus filhos pequenos. Orar também é um mandamento, como um meio pelo qual Deus nos dispensa graça e amor. Deus nos convoca à sua presença e obedecemos à sua convocação pela oração.

A oração inclui tanto a petição quanto a adoração. A igreja suplica por suas necessidades e pela proteção divina diante da perseguição e da tribulação, mas ela também reconhece o governo soberano da vontade divina sobre todos os eventos, situações e circunstâncias.

As ações de Deus relacionadas à oração são sempre surpreendentes. Deixam-nos atônitos e como que “fora de si”; parecem-nos loucura e delírio e por fim resultam em alegria e gratidão. Quem é semelhante a deus quando ouve orações de pecadores como nós?

Chama a atenção, que Tiago, um dos companheiros mais próximos de Cristo, foi o primeiro dos apóstolos a glorificar a Cristo com sua morte! Ele era um líder, mas Deus dispõe de nós como acha melhor, e, o nosso maior privilégio, é estar no centro de sua vontade trabalhando por pouco tempo ou por muito tempo.

Achamos um desperdício enviar alguém para m campo missionário perigoso para depois recebermos a notícia de sua morte. Como podemos medir o chamado de Deus na vida de seus servos? Tiago ouviu e presenciou tantas maravilhas quando esteve com Cristo que, para nós, deveria ser poupado de uma exposição mais excessiva que o colocasse em perigo. Mas viver o evangelho não é assim. Somos um exército de iguais sem hierarquia de precaução.

Sempre estaremos na linha de frente quando Deus decidir nos colocar lá. Viver ou morrer não são variantes relevantes para quem vive ou morre pela promessa da vida eterna garantida no sangue derramado de Jesus Cristo numa cruz por nós.

Nossa vida e nossa oração será sempre viver para Deus e morrer para Deus! Confiaremos sempre no seu direcionamento para nossas vidas.
Com amor, Pr. Helio.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...