O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Atos 4 = Por Causa do Nome de Jesus Cristo



®    Atos 4: Por Causa do Nome de Jesus.

    Atos 4 descortina para os cristãos uma lição que devemos aprender cedo na caminhada da fé. O mundo odeia os seguidores de Cristo. Cristo já havia avisado aos discípulos que como o mundo o odeia, odiará a sua igreja também (Jo 15.18,19). Por que é assim? O mundo odeia a Cristo porque ele dá testemunho de suas obras más (Jo 7.7). O mundo odeia a igreja, porque ela pertence e ama a Cristo (Jo 15.19). Atos 4 é a ilustração prática de como isso acontece e quando.

Tudo o que a igreja faz é por causa e em nome de Jesus (v.10).
Há uma estreita relação entre as obras de Cristo e as obras da igreja. Essa relação não pode jamais ser escondida ou camuflada. Pedro deixa claro que tanto a motivação como a realização da cura do paralítico foi Jesus Cristo e para a glória dele. A preocupação de Pedro é testemunho e não propaganda. Jesus Cristo é a pedra angular da igreja que foi rejeitada pelo mundo religioso, cultural e intelectual. Quem se posiciona ao lado de Cristo está “contra mundum”. Isso é um fato histórico e teológico. Quando nos tornamos cristãos assumimos essa posição, pois não salvação em nenhum outro debaixo do céu (v.12 – decore esse verso!).

Tudo o que a igreja sofre é por causa do nome de Jesus (v.21,27). A igreja cura, prega e cuida; a igreja é presa, sofre ameaças e oposição. Talvez não conheçamos o sofrimento e a perseguição como nossos irmãos no Oriente Médio conhecem, mas somos solidários a eles na condição de recebermos oposição por causa do evangelho. O mundo tolerante nos considera intolerantes. O mundo Eclético (conciliador de várias doutrinas) nos considera alienados, incômodos. Quem conhece as Escrituras sabe que o que está por vir não é refresco!

No final, o propósito soberano de Deus se realiza por meio de Jesus (v.28) e tomamos consciência de que o nosso papel nisso tudo é anunciar o evangelho com intrepidez (v.29). Pregar com intrepidez é uma concessão divina que precisa tramitar nas nossas orações coletivas. Oramos por tantas coisas particulares a nós. Precisamos orar juntos pela pregação do evangelho do lado externo do templo. Pregar do púlpito é algo agradável e seguro. Lá fora é que está o verdadeiro desafio! Por isso precisamos orar juntos pela pregação.

Enquanto Deus realiza sua obra e o nome de Jesus triunfa (v.30). O que chama a atenção no verso 31 é que tremeu o lugar! Mas o que deveria chamar a atenção mesmo é que TODOS eles ficaram cheios do Espírito Santo e pregavam a Palavra com intrepidez. Pedimos a Deus intrepidez para os nossos pregadores, mas deveríamos pedir intrepidez para todos! Anunciar a Palavra é uma tarefa simples, que significa dizer o que aconteceu; transmitir uma notícia.

A notícia que transmitimos é a boa notícia (evangelho = boa nova) de que Deus em Cristo tratou do perdão de nossos pecados na cruz do Calvário e agora nos chama a recebê-lo como nosso único, pessoal e suficiente salvador. Único porque não há outro (v.12); pessoal porque ele salva a cada um de nós (1 Tm 1.15) e suficiente, porque não precisamos de nada mais, de ninguém mais, nem de acrescentar mais nada ao que ele já fez por nós.

Faça assim: 1) Ore pela igreja perseguida; procure saber a respeito. 2) Ore pela pregação do evangelho dentro e fora do templo. 3) Ore pelo seu testemunho pessoal do Evangelho.

Com amor, Rev. Helio.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...