O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

11 = 1 Timóteo 4.11-5.2 - A RECOMENDAÇÃO DO ENSINO VERDADEIRO


------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11 = 1 Timóteo 4.11-5.2 – A Recomendação do Ensino Verdadeiro. 23/10/2013.
Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia-GO

Grupo de Estudo do Centro – Agosto a Dezembro/2013
Liderança: Pr. Hélio O. Silva e Sem. Adair Batista.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
A Mensagem de1 Timóteo – A Vida na Igreja Local – John R. W. Stott, ABU, p.119-127.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------

Introdução:
Paulo muda o foco da preocupação com o combate ao erro para com uma apresentação positiva da verdade a fim de que seja apresentada eficazmente e aceita.
O grande desafio de Timóteo era liderar sendo jovem e inexperiente. Paulo o orienta a tomar seis posturas e ações mediante as quais seu ministério da palavra seria bem recebido e aceito.

1.     Ser exemplo dos fiéis (v.12).
a)    Ser exemplo para os fiéis.

b)    Um exemplo amplo.
®   Na palavra e no procedimento.
®   Modelo nas virtudes cristãs: Amor, fé e pureza.

   2.     Tornar clara a fonte de sua autoridade: as escrituras (v.13).
   a)    Sua autoridade era limitada pelas instruções apostólicas.
®   Ordenar e ensinar “estas coisas”.

   b)    Sua autoridade era subordinada às Escrituras.
®   Leitura pública em voz alta (anagnôsis).
®   Ensino.
®   Exposição bíblica (I Apologia de Justino – p.122).
A exposição bíblica deveria ser marcada por integridade e submissão à autoridade bíblica.

   3.     Exercitar o seu dom (v.14).
a)    A Vocação e ordenação de Timóteo tinha 3 ingredientes:
   ®   O dom dado por Deus.
   ®   A mensagem profética (vocação divina).
   ®   A imposição das mãos do presbitério – confirmação do dom e do chamado divino.

b)    Precisava desenvolver seus dons.
O dom não foi dado de forma estática, pois Timóteo deveria desenvolvê-lo e não deixar que se apagasse. Deus o chamou pela palavra profética, capacitou-o com um dom e o comissionou pelas mãos do presbitério.

   4.     Mostrar progresso na maturidade cristã (v.15).
a)    Dedicação e perseverança.

b)    O crescimento em maturidade deve mostrar quem somos e o que estamos nos tornando em Cristo.

c)     Não viver de aparências.
   ®   Porque é uma atitude hipócrita.
   ®   Porque desencoraja as pessoas.
Somos peregrinos e ainda estamos a caminho.

   5.     zelar por uma vida cristã consistente (v.16).
   a)    Cuidar de si mesmo.
   ®   Caráter e conduta. Não pode haver dicotomia entre vida pública e privada.

   b)    Cuidar da doutrina.
   ®   Não pode haver dicotomia entre pregação e prática.
Nosso desafio é ser cristãos autênticos.

   c)     Fazendo assim salvará...
A perseverança não é o que, por mérito, produz a salvação; mas ela é a evidência definitiva de que somos salvos (p. 125).

   6.     ajustar seus relacionamentos (5.1,2).
   a)    O tratamento para com idosos.

   b)    O tratamento para com jovens.

Na relação com a igreja deve-se levar em conta o sexo e a idade das pessoas a fim de servir de forma apropriada e ter direito à atenção e ao respeito.

Aplicações:
   1.     Essas orientações de Paulo são ricas e práticas para conduzir as relações da liderança cristã e o povo de Deus como membros da mesma família em Cristo.

   2.     Devemos ser zelosos pelo exemplo que damos, pois isso abre portas à boa aceitação do evangelho.

   3.     Os líderes não devem ser insensíveis tratando todos de igual modo. Há diferenças a serem respeitadas.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...