O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

01 = Mateus 27.27-31 = O HOMEM QUE É ZOMBADO COMO REI, É O REI.


Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia-GO
Grupo de Estudo do S. Bueno 1 – Fevereiro a Junho/2014
Liderança: Pr. Hélio O. Silva e Presb. Adevenir Portes.
------------------------------------------------------------------------------------------------------
01 = Mateus 27.27-31 – O Homem Que é Zombado Como Rei, É o Rei.                      
Escândalo – A Cruz e a Ressurreição de Jesus – D. A. Carson, FIEL, p.13-21. 05/02/2014.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
Introdução:
Ao propormos o tema da cruz e da ressurreição de Cristo para os nossos estudos semanais precisamos entender que é tão importante saber o que esses acontecimentos significam como é importante saber que aconteceram de fato. A mente pós-moderna ignora tanto uma coisa quanto a outra, reinterpretando-as segundo a conveniência de suas ideias e idealizações do cotidiano.
A ironia expressa significado por utilizar palavras que normalmente significam o oposto do que está sendo dito. Quando é intencional, o falante sabe exatamente o quer com o seu uso. Numa narrativa, a ironia tem o poder de dar foco a uma situação. Um exemplo claro disso foi a historieta que Natan contou a Davi para desmascarar sua hipocrisia diante do assassinato de Urias, encomendado por ele a Joabe (1 Sm 12.5-7).
O texto de Mateus 27 nos apresenta quatro ironias a respeito da crucificação de Cristo. Tratemos a primeira delas.

  1. A zombaria.
Jesus se tornara inimigo das autoridades políticas e religiosas de Israel. Tinham inveja de sua popularidade e temiam seu poder político potencial, suspeitando de seus motivos. Num julgamento irregular, conseguiram sua condenação como traidor da nação.
Assim que a condenação à cruz foi decretada Jesus foi açoitado pela segunda vez como um procedimento padrão dos soldados romanos. A zombaria é que não era padrão.
Tudo é feito de forma zombeteira e maliciosa. O manto escarlate, a coroa de espinhos, o caniço, soldados ajoelhando-se em reverência, frases de aclamação real e espancamento.

  1. a ironia: o homem que é zombado como rei, é o rei.
No entanto, Mateus sabe, os leitores sabem e Deus sabe que Jesus é o rei dos judeus. Esse é propósito do livro de Mateus.
®    Mateus 1 – A genealogia de Cristo o apresenta como herdeiro de Davi e Abraão (1.1). ligando-o diretamente à aliança de 2 Samuel 7.
®    Mateus 2.2 – Os magos procuram onde nasceu o rei dos judeus.
®    Mateus 13 – Jesus profere as parábolas do Reino.
®    Mateus 27.11 – Pilatos lhe pergunta se é de fato o rei dos judeus.

  1. um reinado diferente do reinado de césar.
Jesus deixou claro para Pilatos que o seu reino não implicava ameaça militar para César. Mesmo percebendo isso, Pilatos o condenou como traidor.
A ironia do texto é que toda ironia praticada zombeteiramente contra Cristo expressava a mais límpida e pura verdade: Crist é o Rei de fato!
Embora os solados aviltassem a Jesus como um criminoso patético, tudo o que disseram era a verdade, o oposto do que pretendiam dizer.
Jesus é mais que o rei dos judeus, ele é o rei de tudo. Ele possui toda autoridade no céu e na terra (Mt 28.18). Sua autoridade total é a autoridade do próprio Deus.
            Que tipo de rei Jesus era na perspectiva de Mateus?
®    Mateus 20.20-28 = Não exercia sua autoridade nos mesmos moldes do modelo mundano. A Natureza de seu reinado era servir e dar sua vida em resgate pela vida de muitos (v.25-28).
®    A autoridade no mundo caído no pecado é motivada por profundo senso de autopromoção; de querer ser o número 1; um profundo senso de autopreservação e até de um profundo senso de direito pessoal.
®    Na sua missão soberana Jesus não se autopromover; veio dar sua vida em resgate por muitos.
®    É por isso que Pilatos e os judeus foram incapazes de reconhecê-lo como rei.
®    O seu reinado tem sido ilustrado durante dois milênios pelo escândalo da cruz.
®    A grande primeira ironia de Mateus 27 é que o homem zombado como rei – é o rei!
  
Questões Para Revisão e Reflexão:
  1. Que lugar damos para o uso de ironias em nossas relações com os outros?
  2. Já fomos pegos no fato de nossas ironias expressarem uma verdade que não desejávamos admitir?
  3. Por que Deus ironiza nossas ironias? 
Aplicações:
  1. Deus ironiza nossas ironias para mostrar a verdade dos fatos. 
  1. A natureza do reino de Deus é diferente, logo, nosso comportamento diante de status quo deve ser diferente. Buscar servir mais do que buscar ser servido, ou melhor, não servir para alcançar autopromoção. 

  1. As ambições que devem alimentar nossos pedidos a Cristo devem expressar nossa experiência dentro do reino e nos levar para a assimilação de seus valores: Servir e dar.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...