O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Curso Básico de Exposição Bíblica


INTRODUÇÃO:
            O objetivo deste curso é dar-lhe uma base introdutória à exposição bíblica, a fim de que você possa:
  1. Preparar exposições Bíblicas simples, porém fiel ao texto sagrado.
  2. Oferecer um modelo sistemático de estudo bíblico pessoal.
  3. Aprender a ouvir melhor a sermões, mensagens e estudos bíblicos para o seu crescimento pessoal.
 DEFINIÇÃO DE EXPOSIÇÃO BÍBLICA:
É o sermão que explica e aplica uma passagem das escrituras seguindo a estrutura dos parágrafos do texto de acordo com  a intenção básica de seu autor.
a) Ela trata de uma só passagem básica da Escritura (parágrafo)
b) Ela é fiel ao texto (integridade hermenêutica).
c) Ela tem coesão (introdução, desenvolvimento e conclusão).
d) Ela tem movimento e direção (não é repetitiva).
e) Ela tem aplicação (vida real).

ESCOLHA O TEXTO:
A escolha do texto da pregação de acordo com a ocasião (aniversário, congresso, devocional, Escola Dominical, Estudo Bíblico em seqüência, etc).
Defina o assunto e o tema de seu sermão pelo texto escolhido. O assunto resume o texto em uma palavra (santificação, adoração, evangelização, amor, fé, arrependimento, vinda de Cristo, Ser de Deus, etc). O tema é o assunto que domina o texto e resume numa frase curta (O que é adoração [Sl 100] / As Seis figuras do Obreiro Cristão [2 Tm 2] / Uma comunhão eficiente [Fm 4-7).

FAÇA UM ESBOÇO DO TEXTO:
Esboçar um texto é como cortar um frango ou levantar uma casa. É preciso descobrir qual é a estrutura para cortar no lugar certo ou edificar de forma segura.
A estrutura de um texto nos é dada pela identificação de suas classes gramaticais ([1] substantivo, [2] adjetivo, [3] verbo, [4] advérbio, [5] preposição, [6] conjunção, [7] numeral, [8] artigo, [9] interjeição, [10] pronome) e a função de cada uma no texto.
Cortamos um frango em suas juntas e a estrutura de uma casa está nas suas vigas. Cortamos o texto a partir de suas conjunções que nos mostram quais são as frases principais e quais são as frases subordinadas. Usaremos o Salmo 100 como exemplo:

SALMO 100 >>Salmo de ações de graças>>
(1) Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.
(2) Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
(3) Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos;
     somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio.
(4) Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios,
     com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome.
(5) Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre,
     e, de geração em geração, a sua fidelidade.

 Fase 1: Destacar as classes gramaticais (verbos principais, substantivos e adjetivos, preposições e conjunções).

Salmo 100 <>
(1) Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.
(2) Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
(3) Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos;
      somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio.
(4) Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor;
      rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome.
(5) Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre,
     e, de geração em geração, a sua fidelidade.

Fase 2: Separar as frases (cortar o frango).
Salmo 100 <>
(1)  Celebrai
com júbilo
ao SENHOR,
todas as terras.
(2)  Servi
ao SENHOR
com alegria,
apresentai-vos diante dele
com cântico.
(3)  Sabei
que o SENHOR
          é Deus;
foi ele quem nos fez,
e dele somos;
somos o seu povo
e rebanho do seu pastoreio.
(4)  Entrai
por suas portas
com ações de graças
e nos seus átrios,
com hinos de louvor;
rendei-lhe graças
e bendizei-lhe o nome.
(5)  Porque
o SENHOR
é bom,
a sua misericórdia dura para sempre,
e, de geração em geração, a sua fidelidade.

Fase 3: Pré-esboço homilético:

I - Celebrai ao Senhor V.1   
a. Com Júbilo. (como?).
b. Todas as Terras (quem?).
II - Servi ao Senhor V.2
a. Com alegria (como?).                                         b. Com cântico (como?).

III - Sabei que o Senhor é Deus V.3
a. Ele nos fez (Criador)
b. Dele somos (Senhor – pertencemos a Ele).
c. Somos o seu povo (Rei).
d. Rebanho do seu pastoreio (Pastor)

IV - Rendei-lhe graças V.4  
a.  Entrar por suas portas (onde?)
b. Com ações de graças  (como?)
c. Apresentar-se diante dele (o que?).
d. Com hinos de louvor – Nos seus átrios    
                                                   (como? Onde?).
e. Bendizei-lhe o nome (o que?)
Conclusão - Porque
(por quê?) - (motivação/razão)
a.       O Senhor é bom.
b.      Sua misericórdia dura para sempre.
c.       Sua fidelidade - “dura de geração em geração"

FAÇA UM ESTUDO INDUTIVO DO TEXTO:
    1.      Qual a natureza do texto? Poesia, carta, profecia, narrativa de uma história, etc. Como o salmo 100 é uma poesia, preste atenção nos paralelismos da poesia hebraica presentes no texto (especialmente nos versos 2 e 4)..

     2.      Identifique cada uma das classes gramaticais presentes no texto e a sua função no mesmo. No esboço acima observe os modos e tempos dos verbos principais. Qual conjunção é importante? Qual o substantivo dominante e seus adjetivos.

     3.      Pesquise o significado das palavras mais importantes e/ou difíceis de entender no dicionário. Exemplo: átrios, bendizer, celebrar.

     4.      Anote as características do texto (palavras repetidas, contrastes, comparações, perguntas etc.). Há várias afirmações sobre Deus e o seu caráter.

     5.      Pesquise as circunstâncias históricas e culturais num Dicionário Bíblico (contexto). O salmo 100 é um salmo real (Salmos 95 a 100). Em que época?

     6.      Dialogue com o texto fazendo as perguntas certas: [a] QUEM? QUEM deve celebrar? “Todas as terras”. A QUEM se deve celebrar? “ao Senhor”. [b] O QUÊ? O QUE é celebrar? [c] ONDE? ONDE celebrar? [d] QUANDO? QUANDO celebrar? O tempo verbal do imperativo enfatiza o mandamento imediato, o presente, a urgência. [e] POR QUÊ? POR QUE celebrar? (no caso do Salmo 100 a resposta está no verso 5: “Porque o Senhor é...” [f] COMO? COMO celebrar? “com júbilo”.

7.      Relacione o texto com outras passagens bíblicas: “somos rebanho do seu pastoreio” nos remete ao Salmo 23.

8.      Identifique as aplicações possíveis: Há uma relação importante entre gratidão e cantar com alegria; Celebrar ao Senhor tem um apelo missionário, pois todas as terras devem celebrar ao Senhor; Como é possível servir a Deus com alegria?

9.      Transforme o tema numa proposição clara e chamativa! Aprenda a usar a fórmula: AT+PC+ST=Poposição. Uma proposição de sermão deve ter uma afirmação teológica + uma palavra chave + uma sentença de transição.

ESCREVA O SEU ESBOÇO DA PREGAÇÃO:
            Os argumentos principais são dados pelas frases principais. Os argumentos auxiliares são dados pelas frases secundárias, caso contrário estaremos fazendo um sermão tópico e não expositivo:
            Um critério útil para direcionar a montagem gráfica da argumentação é seguir o padrão: EXPLICAR-ILUSTRAR-APLICAR. Veja no exemplo do Salmo 100:

I. Adorar é celebrar com júbilo ao Senhor v.1
a) O que fazer? Celebrar.
1º) explique o sentido da palavra “celebrar”.
2º) Mostre o significado do verbo no imperativo.
3º) Faça a ligação (correlação) com o contexto dos salmos reais.
4º) ilustre, se necessário.
5º) faça uma aplicação.

b) Como celebrar? Com júbilo.
1º) Explique o sentido de júbilo.
2º) Compare com o sentido de outras palavras que têm o sentido de alegria.
3º) ilustre. I Crônicas 29.
4º) Aplique. Como eles jubilaram? Como devemos jubilar?

c) A quem celebrar? Ao Senhor.
1º) Explique o sentido e o uso do título “SENHOR” aplicado a Deus. A expressão é o Tetragrama? (Jeová).
2º) Ilustre com a postura de personagens bíblicos diante de Deus como “SENHOR”.
3º) Aplique: Exorte à submissão e à dependência.

d) Quem deve celebrar? Todas as terras.
1º) Explique o sentido missionário da expressão “todas as terras”. Faça correlações.
2º) Ilustre ou cite textos missionários apropriados.
3º) Aplique: qual a relação entre adoração e missões na Bíblia?
            Observe que cada subtópico esclarece o argumento principal e o complementa. Muito mais poderia ser dito sobre adoração, mas a exposição se limita ao que o parágrafo bíblico propõe. Lembre-se de fazer isso com equilíbrio e praticidade a fim de não ficar repetitivo ou redundante. Veja o exemplo do sermão pronto abaixo a fim de entender o que é dito aqui. Terminado esse ponto, passe para o seguinte usando uma frase de transição.

FAÇA UMA CONCLUSÃO E UMA INTRODUÇÃO:
O objetivo da Introdução é ganhar a atenção, e o da conclusão é reforçar o ensino (resumindo ou recapitulando), desafiando os ouvintes à obediência.
A conclusão é a meta da exposição bíblica, tornando tudo o que foi dito antes tanto claro quanto constrangedor. “A conclusão precisa concluir, incluir e impedir”,[1] ou seja, encerrar a mensagem, incluir o que previamente foi dito e impedir que haja a possibilidade de se perder as implicações e as conseqüências da mensagem.
A introdução é o meio pelo qual ganhamos o direito de sermos ouvidos. Ela deve ser chamativa a ponto de levar o ouvinte a querer saber do texto bíblico as respostas ao tema que propomos expor. Pergunte a si mesmo: a) Como posso propor esse assunto de forma a despertar interesse? b) Quais os cinco acontecimentos recentes que estão na mente dos ouvintes e que relacionam com o assunto do texto? c) Quais as necessidades dos ouvintes que o texto toca? d) Com qual exemplo bíblico ou histórico poderia introduzir o texto? e) Que frases curtas que eu usar “fisgarão” a atenção dos ouvintes?
Crie frases de transição que liguem o texto: Perguntas dialógicas. Enumerar (1,2,3...) e listar (a, b, c...). Escreva uma frase final desafiante quanto ao tema do texto exposto para pronunciar antes da oração final.

ESBOÇO DE UMA EXPOSIÇÃO BÍBLICA PRONTA:

TEXTO - Salmo 100.
TEMA - “O Que é Adorar No Culto”.

INTRODUÇÃO:
Ilustração: Um culto multilíngüe comemorativo nos EUA, no final da década de 1980.
Ø  As críticas quanto à adoração manifestam:
1)      Um Conflito de gerações.
2)      A ignorância das Doutrinas Bíblicas.
3)      A falta de uma espiritualidade cristã autêntica.
4)      A busca da atratividade em detrimento de um culto genuinamente bíblico.

CONTEXTO:
O Salmo 100 faz parte do Livro IV do livro dos Salmos. Faz parte dos salmos reais: De 95 – 100, que exaltam a Deus como Rei da terra e do seu povo.
PROPOSIÇÃO:
(ST) Este salmo nos ensina pelo menos quatro princípios básicos e claros da adoração cristã, respondendo-nos a pergunta: (AT) O que é  (PC) adorar no culto?

I – ADORAR É CELEBRAR AO SENHOR V.1
a) O que é celebrar?
b) Com júbilo.
Ilustração: Uma experiência de uma igreja triste e suas razões.
c) Todas as terras. Um apelo missionário: O verdadeiro culto deve ser levado a todas as nações.

II – ADORAR É SERVIR AO SENHOR V.2:
a) O que é servir?
b) Com alegria.
c) Com cântico.
Ilustração: A Reforma do século XVI reintroduziu na liturgia da Igreja o canto congregacional.

III – ADORAR É SABER QUE O SENHOR É DEUS. V.3
a) Ele é Deus.
1) Pessoal - tem personalidade própria
2) Espiritual - transcendente.
3) Santo - não habita com o pecado.
4) Possui atributos incomunicáveis e comunicáveis) = Infinito e Onipotente / Amor, bondade, msericórdia.
b) Ele nos fez. (criador)
c) Pertencemos a Ele. (Senhor soberano – Ele é rei).
1º) Somos o seu povo.
2º) Somos o seu rebanho.
d) Ele é o nosso pastor (Sl 23).

IV – ADORAR É BENDIZER O NOME DO SENHOR V.4
a) “Bendizer” significa elogiar. Como elogiamos a Deus? 
b) Com ações de graça.
c) Com Hinos de louvor. 3 observações pastorais sobre a música na igreja:
·     Falta de senso crítico. Letras X melodias.
·     Ênfase no “Show” ou na solenidade “Escocesa”. Jovens X idosos.
·     Serve mais a grupos que ao culto em si. Cânticos X hinos. E as crianças?
c) A relação entre render graças e bendizer o nome.

APLICAÇÕES:
1) O centro do culto é Deus.
2) A expressão firme da alegria no canto é diretamente proporcional à intimidade que temos com Deus.
3) Todas as terras devem celebrá-lo. Precisamos investir em missões transculturais (At 1.8).

CONCLUSÃO: 
Qual a conclusão a que o Salmo nos leva? Por que adoramos a Deus?
1º) Adoramos porque o Senhor é bom.
2º) Adoramos porque a sua misericórdia dura para sempre.
3º) Adoramos porque Ele é fiel.

Frase Final: Vamos celebrar com alegria a soberania real de nosso Deus e vamos anunciá-lo vigorosamente entre as nações!
---------------------------------------------------------------
 Um modelo gráfico da forma de um esboço:



[1] G. Campbell Morgan, citado por Bryan Chapell, Pregação Cristocêntrica, p.266.

3 comentários:

Giovani Bianchini disse...

Muito bom o conteúdo deste estudo sobre exposição bíblica... Bem prático!!!

Giovani Bianchini disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
hernany neris disse...

Fenomenal pastor!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...